A BMW prevê crescimento na Europa, mas alerta que problemas na cadeia de suprimentos ainda persistem

A BMW prevê crescimento na Europa, mas alerta para problemas na cadeia de suprimentos.

BERLIM, 3 de agosto (ANBLE) – A BMW (BMWG.DE) previu crescimento no mercado automotivo europeu, vendas robustas nos Estados Unidos e leve crescimento na China, após elevar suas perspectivas para o ano com base em pedidos fortes e melhoria da cadeia de suprimentos.

No entanto, a empresa alertou que problemas na cadeia de suprimentos e inflação provavelmente continuarão a afetar o restante do ano.

A montadora seguiu o tom cauteloso de seus rivais europeus em relação às perspectivas da economia global, mas ainda ajustou ligeiramente suas expectativas de desempenho à medida que as questões da cadeia de suprimentos e inflacionárias se amenizaram.

A BMW reportou uma queda de 2,9% no lucro líquido do segundo trimestre, em linha com as expectativas dos analistas, depois que os números do ano passado foram impulsionados por sua decisão de assumir o controle majoritário de sua joint venture chinesa BMW Brilliance Automotive.

No entanto, a empresa afirmou que o lucro do segundo trimestre se beneficiou de preços e vendas mais altos, que subiram 11,3%.

A montadora elevou sua perspectiva para a margem de lucro operacional (EBIT) em sua divisão de carros para 9% a 10,5%, ante 8% a 10% anteriormente, e disse que espera um crescimento sólido em suas entregas, em comparação com uma previsão anterior de apenas leve crescimento.

A BMW registrou receitas significativamente maiores no primeiro semestre, totalizando 74 bilhões de euros, devido em parte à integração de sua joint venture chinesa BMW Brilliance Automotive (BBA), bem como a vendas e preços mais altos.

A empresa pagou 3,7 bilhões de euros para assumir o controle majoritário da joint venture chinesa em fevereiro do ano passado, impulsionando o lucro antes de impostos no primeiro semestre de 2022 em 7,7 bilhões de euros.

O lucro antes de juros e impostos (EBIT) para o primeiro semestre de 2023 totalizou 9,7 bilhões de euros, um aumento de 42,6%, mas o lucro líquido caiu para 6,6 bilhões de euros, principalmente devido a uma taxa de imposto mais alta, informou a empresa.

Os gastos do grupo com pesquisa e desenvolvimento aumentaram 15,4% no primeiro semestre, com foco em eletrificação e direção automatizada, e os gastos de capital subiram 10,3%.

Os custos mais altos de material e fabricação também pesaram nos resultados do primeiro semestre, acrescentou a empresa.

($1 = 0,9146 euros)