Enquanto outras empresas saem do mercado russo, o fabricante da Bacardi prospera lá.

Fabricante da Bacardi prospera no mercado russo, enquanto outras empresas saem.

O Wall Street Journal, citando dados alfandegários do governo russo, relata que a Bacardi importou US$ 169 milhões em rum, vodka Grey Goose e outras bebidas nos 12 meses que terminaram em 30 de junho—e a empresa também está buscando contratar funcionários adicionais no mercado.

A maioria dos produtos destilados não está sujeita a sanções ocidentais contra a Rússia, mas várias empresas do setor pararam de enviar para a área, citando motivos morais. A Bacardi inicialmente foi uma delas, afirmando que havia pausado as exportações para o país e interrompido todos os gastos com publicidade lá. Em algum momento desconhecido deste ano, no entanto, a empresa removeu essa informação de seu site.

A empresa não respondeu ao pedido de comentário da ANBLE.

A Bacardi não é a única empresa a permanecer ou retornar à Rússia. A Davide Campari-Milano, fabricante do bourbon Wild Turkey e do rum Appleton Estate, continuou a importar para o país. E a fabricante de chás e cafés JDE Peets também permaneceu na Rússia.

Outras empresas estão tentando encontrar um comprador para suas operações, com a Anheuser-Busch InBev e a Heineken tentando vender suas participações lá. A Carlsberg esperava vender suas operações de cervejaria na Rússia, mas o governo assumiu o controle dos negócios lá.

A Bacardi tem uma longa história na Rússia, lançando vendas lá em 1992. Seu whisky é uma das marcas mais vendidas no país e a região tem sido um impulsionador de crescimento para as receitas e lucros. Cerca de 350 pessoas trabalham para a Bacardi em sete cidades russas.