A ex-participante de ‘The Hills’, Lo Bosworth, foi ‘zoada’ por lançar uma marca de saúde vaginal. Agora ela é vendida no Walmart.

Lo Bosworth, ex-participant of 'The Hills', was mocked for launching a vaginal health brand. Now it is sold at Walmart.

– Mundo do bem-estar. Há sete anos, Lo Bosworth lançou sua marca Love Wellness. Bosworth era mais conhecida por aparecer nos programas de TV Laguna Beach e The Hills quando era adolescente. Os primeiros produtos de sua marca eram para a saúde vaginal. Manchetes como “Estrela de reality show vende tratamentos de saúde vaginal” não facilitaram sua estreia.

“Não foi um sucesso imediato”, lembra Bosworth agora. “A mídia estava confusa. A marca foi ridicularizada e eu também fui ridicularizada.”

Mas agora eles não são mais ridicularizados. A marca expandiu sua variedade de produtos de saúde vaginal – que sempre teve a intenção de apoiar a saúde intestinal – para outros produtos populares de bem-estar, como probióticos, auxiliares do sono e comprimidos anti-inchaço. Os produtos da Love Wellness são vendidos por cerca de US$ 25 por frasco na Ulta, Target e, desde o mês passado, em 1.650 lojas do Walmart.

A Love Wellness emprega cerca de 45 pessoas. A startup levantou uma rodada de Série A de US$ 4 milhões em 2019. Bosworth, que começou como uma operadora solo em sua sala de estar, renunciou ao cargo de CEO no início deste ano. Ela contratou Maria Dempsey, ex-CEO da Nest e ex-aluna da Lancôme e Clarins, para substituí-la.

À medida que a marca se expandiu, Bosworth aprendeu sobre o poder das prateleiras de varejo. “Quando você fornece às mulheres os produtos de que elas realmente precisam, em um lugar da loja onde não se sintam envergonhadas, você verá os resultados que espera”, diz ela. Os produtos da Love Wellness são vendidos na seção de beleza natural da Target e na seção de saúde digestiva do Walmart. “Se você entrar na seção de preservativos ou absorventes internos, você vai e volta – não é um lugar onde você quer ficar para passear”, acrescenta. “Mas em uma parte diferente da loja onde você se sente mais confortável pegando produtos e lendo rótulos, você está muito mais aberta à descoberta.”

Iniciar uma marca foi a forma de descoberta pessoal de Bosworth. “Eu estava tentando me afastar da indústria do entretenimento”, diz ela. Ela se mudou da Califórnia, onde os programas de TV em que ela apareceu foram gravados, para Nova York. Ela encontrou seu “ponto ideal” como fundadora e operadora de uma marca de consumo. “Na indústria do entretenimento, você nunca sabe quando vai conseguir seu próximo emprego. É muito difícil ser o mestre do seu próprio destino”, diz ela. “Quando você faz algo como o que estou fazendo agora, é uma história muito diferente.”

Ver outras marcas de bem-estar mergulharem no espaço da saúde feminina mais estigmatizada, onde a Love Wellness começou, tem sido gratificante para Bosworth, especialmente depois de passar por tanta desconfiança no início. E também há as startups focadas na saúde vaginal, como Evvy e Uqora. “Estou aliviada por termos sido tão pioneiros na categoria”, diz ela.

Emma [email protected]@_emmahinchliffe

The Broadsheet é o boletim informativo da ANBLE para e sobre as mulheres mais poderosas do mundo. A edição de hoje foi selecionada por Joseph Abrams. Inscreva-se aqui.

TAMBÉM NAS MANCHETES

– Sinergia de vendas. A CEO do Slack, Lidiane Jones, está lançando uma edição específica de vendas da plataforma de comunicação no local de trabalho que facilitará o uso do Slack e do Sales Cloud, o produto registrado da empresa-mãe do Slack, Salesforce. Isso faz parte de sua estratégia de integração das duas plataformas. Bloomberg

– Êxodo de VC. Contratações em massa causadas pela pandemia trouxeram um influxo de mulheres para cargos de capital de risco na Europa. Agora, diante de reclamações de padrões injustos e um ambiente de investimento lento, muitas mulheres estão deixando seus cargos. Sifted

– Faixa bônus. Duas empresas de transporte passaram 24 semanas transportando os equipamentos necessários para a colossal turnê Eras de Taylor Swift. Swift mostrou sua gratidão dando aos motoristas de caminhão cheques bônus de US$ 100.000 com notas escritas à mão; eles normalmente recebem bônus entre US$ 5.000 e US$ 10.000. CNN

– Chame isso de retorno. Simone Biles e a ginástica dos EUA como um todo voltarão com força total esta semana, após um período de incerteza envolvendo a ginasta estrela e o programa como um todo. Patrocinadores abandonaram a equipe na sequência de escândalos de abuso sexual, mas ontem a Nike anunciou um novo acordo de patrocínio recorde com a federação de ginástica, que receberá Biles para sua primeira competição desde as problemáticas Olimpíadas de 2021. Wall Street Journal

PERSONALIDADES EM DESTAQUE: Stuart Kronauge foi nomeado CEO da Miyoko’s Creamery. Kristina Omari se juntou à Wheel como diretora financeira. Na Kinaxis, Megan Paterson é a nova diretora de operações, e Amber Pate agora é diretora de recursos humanos.

SE VOCÊ PERDEU ISSO

– Da pobreza à presidência. Xóchitl Gálvez, que foi de vendedora ambulante a senadora mexicana, está conquistando os eleitores enquanto tenta desbancar a corrida presidencial no México. Sua provável adversária, a prefeita da Cidade do México, Claudia Scheinbaum, era esperada para vencer por uma ampla margem antes do aumento de popularidade de Gálvez. Wall Street Journal

– Em debate. Os prejuízos que a campanha de marketing da Bud Light com o influenciador trans Dylan Mulvaney causou e o custo para a empresa de centenas de empregos. Agora a empresa promete se afastar de qualquer polêmica. “As pessoas querem aproveitar sua cerveja sem um debate”, disse o CEO da AB InBev, Michael Doukaris, nesta semana, acrescentando que a empresa mãe da Bud Light se concentrará em temas menos debatidos, como esportes e música. Wall Street Journal

– Jennette sabe melhor. A autobiografia de Jennette McCurdy, “Estou feliz que minha mãe morreu”, entrou na lista dos mais vendidos pela 51ª vez nesta semana, e ela está abraçando seu ano de fama literária de braços abertos. A ex-estrela de iCarly agora se vê principalmente como escritora e está trabalhando em um novo romance. New York Times

NO MEU RADAR

A inserção de DIU realmente precisa ser tão dolorosa? Vogue

Como o gigante dos casamentos The Knot enganou os anunciantes Forbes

A tragédia de ser uma nova mãe na América Wall Street Journal

PALAVRAS FINAIS

“Se eles virem nossas camisetas em algum lugar e alguém conhecer uma Linda, nós damos a eles um cartão.”

—Linda Gray, membro do L.I.N.D.A. Club, um grupo para mulheres chamadas Linda. Eles estão tentando recrutar membros mais jovens.