O candidato presidencial do Partido Republicano, Vivek Ramaswamy, chama o Juneteenth de um feriado ‘inútil’ 2 meses depois de dizer que o feriado deveria ser uma ‘celebração do Sonho Americano’.

O candidato presidencial do Partido Republicano, Vivek Ramaswamy, chama o Juneteenth de um feriado 'inútil' após defender que deveria ser uma 'celebração do Sonho Americano'.

  • O republicano Vivek Ramaswamy criticou o Juneteenth enquanto falava em Iowa, chamando o feriado de “inútil”.
  • Há dois meses, ele elogiou o feriado, dizendo que deveria ser uma “celebração do sonho americano”.
  • Ativistas negros, especialmente Opal Lee, de 96 anos, lutaram por décadas por um feriado federal do Juneteenth.

O candidato presidencial republicano Vivek Ramaswamy disse no sábado que o Juneteenth é um feriado “inútil”, apenas meses após afirmar que o feriado deveria ser uma “celebração do sonho americano”.

Ao falar com eleitores em um evento em Iowa, estado importante nas primárias, Ramaswamy disse aos presentes que ele apoiaria um feriado nacional de votação, removendo outro feriado.

“Votação em um único dia, no dia da eleição. Faremos do dia da eleição um feriado. Cancelamos o Juneteenth ou um dos outros inúteis que inventamos”, disse ele. “Não podemos ter todos os dias como feriado, mas podemos cancelar um dos outros e fazer do dia da eleição um feriado, cédulas de papel e identidade eleitoral emitida pelo governo que corresponda ao cadastro de eleitores”.

Quando a NBC News questionou Ramaswamy se ele achava o Juneteenth um feriado “inútil”, ele respondeu: “Basicamente, sim”.

Mas quando questionado pela emissora se o Memorial Day e o Veterans Day eram feriados “inúteis”, Ramaswamy adotou uma visão oposta.

“Eu defendo a presunção de tradições testadas pelo tempo”, disse ele. “Acho que se fizéssemos um feriado comemorativo nacional para tudo o que é importante que aconteceu em nossa história, não teríamos mais dias úteis. Mas acho que o espírito do Juneteenth já canalizamos para outros feriados, como o dia de Martin Luther King. Como o dia dos presidentes”.

“Não devemos ter feriados redundantes que celebrem propósitos sobrepostos. Deve ter um propósito distinto”, continuou ele. “Acho que, sejamos honestos. A razão para torná-lo um feriado foi em meio a pressão política. Foi uma situação política de refém em cima da morte de George Floyd e acho que não deveríamos criar feriados dessa forma”.

A posição de Ramaswamy também vem dois meses depois de ele ter escrito um post no Twitter onde afirmou que o Juneteenth é uma “celebração do sonho americano”.

“Não apenas olhamos para trás e nos punimos. Isso é irrelevante”, disse ele. “O que celebramos é o quão longe chegamos, e como um americano de primeira geração, você pode ter certeza de que estou orgulhoso disso. Feliz Juneteenth para todos”.

O Juneteenth comemora 19 de junho de 1865, quando soldados da União levaram a notícia da liberdade aos negros escravizados em Galveston, Texas, dois meses após o fim da Guerra Civil e dois anos e meio após a Proclamação de Emancipação.

Em junho de 2021, o Congresso aprovou uma legislação estabelecendo o Juneteenth como feriado federal e o presidente Joe Biden assinou o projeto de lei prontamente.

O Juneteenth é o primeiro feriado nacional estabelecido nos Estados Unidos desde a criação do feriado de Martin Luther King Jr. em 1983.

“Grandes nações não ignoram seus momentos mais dolorosos. Elas não ignoram esses momentos do passado. Elas os abraçam. Grandes nações não se afastam”, disse Biden na época durante a cerimônia de assinatura na Casa Branca.

Muitos ativistas e educadores de longa data, especialmente Opal Lee, de 96 anos, lutaram por décadas para que o Juneteenth se tornasse um feriado federal.

O ex-deputado Will Hurd, do Texas – também candidato presidencial e um dos republicanos negros mais proeminentes do país – criticou Ramaswamy por seus comentários, dizendo à NBC News que o candidato “espera cancelar um feriado que celebra igualdade e liberdade”.

“Suas artimanhas e truques não são sérios”, acrescentou Hurd.