O Comissário FEC Trey Trainor foi inocentado de violação ética após a investigação impulsionada pela reportagem do Insider.

O Comissário FEC Trey Trainor foi inocentado de violação ética após investigação.

  • Em 2022, o Insider informou que o Comissário do FEC, Trey Trainor, foi apresentado como membro da “Equipe de Eleições de Trump” em um evento local do GOP.
  • Após o relatório, o Gabinete do Inspetor Geral do FEC abriu uma investigação.
  • O grupo não encontrou nenhuma violação ética, embora tenha afirmado que sua investigação foi prejudicada depois que Trainor e seus assessores não cooperaram.

O Gabinete do Inspetor Geral do FEC descobriu na segunda-feira que o Comissário Trey Trainor não cometeu nenhuma violação ética depois de participar de um evento de “integridade eleitoral” onde ele foi rotulado como membro da “Equipe de Eleições de Trump”.

Em 2022, o Insider informou que Trainor, que foi anteriormente nomeado para a comissão pelo presidente Donald Trump, foi apresentado como membro da equipe de Trump em uma postagem no Facebook do Partido Republicano do Condado de Denton.

Após o relatório, o Gabinete do Inspetor Geral do FEC iniciou uma investigação sobre a suposta impropriedade ética de Trainor. Eles afirmam que, embora possa parecer que ele agiu de maneira inadequada, sua apresentação foi escrita sem o seu conhecimento, minando “qualquer aparência de impropriedade”.

Embora Trainor tenha falado com o Insider em 2022 para comentar, o relatório do Gabinete do Inspetor Geral do FEC observa que ele e seus assessores se recusaram a cooperar com a investigação do governo, levando a “incerteza” em relação às conclusões finais da investigação.

“Nem o Comissário Trainor nem seus assessores responderam a várias tentativas ao longo de vários meses do OIG para agendar uma entrevista”, diz o relatório. “Sua falta de participação dificultou os esforços do OIG para reunir evidências relevantes e resultou em incerteza quanto às conclusões desta investigação”.

O relatório do Gabinete do Inspetor Geral do FEC observa que a falta de cooperação de Trainor com a investigação contrariou a orientação do ex-presidente do FEC e atual Comissário Allen Dickerson, que enviou um e-mail para todos os funcionários do FEC em março de 2022 para lembrá-los de que eles “têm o dever de cooperar com o OIG”.

Devido à falha dele e de seu advogado em cooperar, o Gabinete do Inspetor Geral do FEC afirmou que “não foi capaz de concluir com certeza se o Comissário Trainor cumpriu as normas éticas relevantes no que diz respeito à participação em assuntos relacionados à campanha de Trump em 2016 e entidades relacionadas, devido à sua falta de participação nesta investigação”.

O Gabinete do Inspetor Geral do FEC encerrou a investigação sem “recomendações para a Comissão ou a administração do FEC”, embora tenha encaminhado possíveis violações da Lei Hatch e “alegações de atividade política partidária inadequada ao Gabinete do Conselheiro Especial”.