O nível de água do Canal do Panamá está diminuindo devido a uma seca, limitando o número de navios que podem passar por ele.

O nível de água do Canal do Panamá está diminuindo devido à seca, limitando o número de navios que podem passar por ele.

  • A renda do Canal do Panamá poderá cair em US$ 200 milhões devido à falta de chuvas, disse seu administrador na quinta-feira.
  • Ele limitou o número de navios que podem passar devido à seca deste verão.
  • “Se não nos adaptarmos, vamos morrer”, disse Ricaurte Vasquez, segundo a France 24.

O Canal do Panamá está sofrendo com uma seca intensa que está forçando os funcionários a limitar o número de navios que podem passar pela via navegável vital.

O administrador Ricaurte Vasquez disse na quinta-feira que os operadores decidiram permitir um máximo de 32 navios por dia através do canal, cerca de 14% a menos do que a média de entre 36 e 38.

Ele disse que a renda do canal poderá cair até US$ 200 milhões por dia no próximo ano como resultado da perda de tráfego.

O sistema do canal depende de água doce, em vez de água salgada, o que significa que a falta de chuvas neste verão afetou a capacidade de operação do canal.

“A grande desvantagem que o Canal do Panamá tem como rota marítima é que operamos com água doce, enquanto outros usam água salgada”, disse Vasquez em uma apresentação à mídia, segundo a France 24.

Meteorologistas estão alertando que o padrão climático El Niño, que pode causar seca e enchentes ao mesmo tempo no Pacífico, poderia piorar a situação do canal, de acordo com a agência de notícias.

“Precisamos encontrar outras soluções para continuar sendo uma rota relevante para o comércio internacional. Se não nos adaptarmos, vamos morrer”, disse Vasquez.

As empresas de navegação usarão outras rotas se as restrições continuarem, acrescentou ele.

O canal de 51 milhas conecta os oceanos Atlântico e Pacífico, o que historicamente o tornou uma rota comercial vital.

Esperava-se que ele arrecadasse cerca de US$ 4,9 bilhões em taxas em 2024 antes da seca, segundo Vasquez.